26 dezembro 2012

A mãe de todas as aventuras

"Esta é a história da prova que Thierry Sabine idealizou entre a vida e a morte, perdido nas escaldantes areias do Ténéré, quando disputava o Rali Abidjan-Nice aos comandos de uma BMW. O seu legado mantém-se vivo até hoje, mesmo apesar do seu trágico desaparecimento em 1986, quando o helicóptero onde seguia embateu numa duna, a meio de uma tempestade areia"..., para ler aqui (link).

23 novembro 2012

Mais um recorde de inscritos para a grande prova

A publicação da lista de inscritos anuncia novidades recordistas para a 35.ª edição do Rali Dakar. Nas motos, a entrada da Honda como construtor oficial no maior desafio de Todo-o-Terreno do mundo eleva a fasquia no destrono da imponente KTM. 

A edição de 2013 tem uma extensão total de 8400 quilómetros, divididos em catorze etapas entre o Peru, Chile e Argentina.

Esta será a primeira vez que o percurso inverte o sentido, partindo a 5 de Janeiro da capital peruana, Lima, com o cenário da costa do Pacífico a servir de pano de fundo na direção ao Chile. 

Pilotos e equipas enfrentam as dunas logo nos primeiros dias da corrida, apresentando depois um teste de esforço na passagem da Cordilheira dos Andes. O dia de descanso está apontado para a localidade argentina de San Miguel de Tucuman, seguindo-se depois a etapa mais longa da prova, que só termina a 20 de Janeiro na cidade chilena de Santiago, depois de uma passagem final pelas areias de Copiapó e Fiambala. 

 É esperada a participação de 459 concorrentes, representantes de mais de meia centena de nações, dos quais 189 em Motos e 40 nos Quads, distribuídos os restantes pelos Automóveis e Camiões. 

Nas Motos, a supremacia da dupla da KTM, Cyril Despres e Marc Coma, poderá estar em causa com a participação de Hélder Rodrigues como piloto oficial da Honda, ele que nas últimas duas edições completou o desafio na terceira posição. Em jogo estarão também os ‘homens’ da Husqvarna, o português Paulo Gonçalves ao lado dos espanhóis Joan Barreda e Jordi Viladoms. 

Por Portugal estará ainda Pedro Bianchi Prata e o estreante Mário Patrão


Fonte: fozmotor.com

22 novembro 2012

Patrão no Dakar com Suzuki


Mário Patrão vai estar à partida da mais mediática prova de Todo-o-Terreno do mundo, o Rali Dakar, que desta vez terá início alguns dias mais tarde, a 5 de Janeiro, para terminar depois no dia 20 do mesmo mês.

O piloto da RR-Motos/Suzuki/Cepsa/Crédito Agrícola/Lusocargo já iniciou preparação do grande evento. «Esta vai ser a minha estreia nesta mítica prova, quero essencialmente poder chegar ao palanque final com a aquisição da máxima experiência. É uma prova dura, mas é a altura certa para testar as minhas capacidades no Dakar», referiu o piloto de Seia, pluri-campeão nacional de TT, que iria manter-se fiel à sua Suzuki RM-Z 450. «A Suzuki já me deu provas mais do que suficientes de que é uma moto ganhadora, fico muito satisfeito por entrar com ela em mais um importante desafio da minha carreira! Estamos ainda a desenvolver a moto para esta grande aposta, mas tudo está a correr pelo melhor». A moto que Patrão irá usar está a ser desenvolvida em Portugal  e tem a performance assegurada pela Meca’System Racing, marca de renome francesa especialista nas competições de Todo-o-Terreno. Refira-se que a edição do Dakar 2013. arranca do Peru com destino ao Chile, enquanto as etapas intermédias decorrem em solo argentino, país que nos últimos anos deu o sinal de partida para a grande festa do TT mundial. 

Fonte: Motojornal

17 outubro 2012

Em Marrocos...


Os pilotos portugueses continuam a brilhar no Rally de Marrocos. Hoje foi Paulo Gonçalves a vencer a etapa aos comandos da sua Husqvarna, mas terminando logo a seguir, Hélder Rodrigues (Honda) voltou à liderança da prova, agora com uma vantagem relativamente confortável sobre Cyril Despres!

11 outubro 2012

Carlos Sousa e Miguel Ramalho testam em Marrocos

Após garantir, em janeiro passado, o melhor resultado de sempre de um construtor chinês no rali Dakar, conduzindo o SUV Haval inscrito pela Great Wall Motors ao sexto lugar da classificação, Carlos Sousa regressou ao continente sul-americano em 2013, iniciando hoje a preparação para a 35ª edição do maior rali do mundo. 

Tal como há um ano, o Tetracampeão Nacional de Todo-o-Terreno tem encontro marcado com a equipa do maior exportador automóvel da China nas pistas do sul de Marrocos, onde hoje e durante os próximos quatro dias terá oportunidade de testar exaustivamente o SUV Haval com que se apresentará, em Lima, a 5 de janeiro próximo, à partida do seu 14ª Dakar. 

 “É um teste um pouco mais extenso do que há um ano e onde a prioridade passa por perceber as alterações que resultam da aplicação do novo regulamento técnico em vigor, em particular ao nível do motor. É que para mantermos a dimensão do restritor, estamos agora obrigados a utilizar um bloco derivado de série, talvez mais fiável que o anterior, mas seguramente menos potente”, explica Carlos Sousa, apontando os buggys de motorização a gasolina como os principais beneficiados desta alteração regulamentar. “Como outras equipas, vamos tentar compensar esta falta de potência evoluindo outros detalhes do carro, como as suspensões, o chassis e a própria refrigeração do motor, um aspeto que limitou bastante a nossa performance no último Dakar”, esclarece. “Pelo menos, teremos agora mais tempo para testar e validar o nosso trabalho, aproveitando também o melhor conhecimento que a equipa tem deste carro”, refere o piloto, que terá novamente o chinês Young Zhou como colega de equipa e o francês Philippe Gache como responsável da estrutura técnica e logística do Team Great Wall Motors. 

Miguel Ramalho do WRC para o Dakar 

A única mudança de vulto diz respeito ao co-piloto de Carlos Sousa, já que no lugar do francês Jean-Pierre Garcin surgirá agora o português Miguel Ramalho, o mais consagrado dos navegadores nacionais, tanto ao nível dos ralis (dois títulos mundiais no PWRC, quatro absolutos e três de Grupo N no Campeonato português) como do todo-o-terreno (cinco títulos absolutos e um recorde de 21 vitórias à geral no Campeonato Nacional). 

 Pela primeira vez ao lado de Carlos Sousa, o navegador, de 48 anos, cumprirá em 2013 a sua quarta participação num Dakar, depois de três presenças com Miguel Barbosa em 2006, 2007 e 2010, esta última já no atual formato sul-americano da prova. “Sempre manifestei à equipa a minha preferência por um navegador português e a escolha do Miguel pareceu-me óbvia dada a sua enorme experiência internacional e o seu inigualável palmarés em termos nacionais. Fico naturalmente muito feliz por disputar um Dakar formando uma dupla totalmente nacional”, justifica Carlos Sousa. 

 Para Miguel Ramalho, “tratou-se de um convite irrecusável e que coincidiu com a paragem do projeto no Mundial de Ralis. É uma oportunidade única de regressar ao Dakar integrado numa equipa oficial e ao lado de um dos melhores e mais experientes pilotos do mundo nesta especialidade. Espero naturalmente estar à altura do desafio e das expetativas que o Carlos e a equipa depositam em mim”, afirmou, por sua vez, Miguel Ramalho, na véspera de se estrear, ainda que numa sessão de testes, no banco direito do Haval SUV do Team Great Wall Motors. Nesta que será a última aparição oficial do atual Haval SUV – a equipa já anunciou que pretende construir um novo carro de raiz –, as expetativas passam por colocar novamente uma equipa dentro do top-10, para que em 2014 possa assumir o mais ambicioso objetivo de lutar por um lugar no pódio final. 

Para esta 35ª edição do Dakar, quinta consecutiva na América do Sul, a Organização preparou várias novidades importantes ao nível do percurso, que pela primeira vez se iniciará da capital peruana, Lima, a 5 de janeiro, continuando depois pela Argentina e pelo deserto de Atacama, até à chegada inédita a Santiago do Chile, a 20 de janeiro, num total de mais de oito mil quilómetros. O habitual dia de descanso acontecerá a 13 de janeiro, pela primeira vez em San Miguel de Tucumán, na Argentina.

fonte

10 outubro 2012

Honda CRF 450 Rali em Marrocos

É já dia 14 de Outubro que a Honda participa no Rali de Marrocos com os seus 5 pilotos, onde se inclui Helder Rodrigues, para desenvolver mais o modelo que irá participar no Dakar, a CRF 450 Rali. 

A CRF450 Rali: a nova pretendente Honda para vencer o Rali Dakar. A primeira moto com apoio de fábrica Honda, para entrar no rali Dakar desde 1989, é baseada na moto de produção CRF450X. A Honda participará no Rali visando, não só vencer pela primeira vez com uma máquina de produção como base, mas também para utilizar esta experiência de competição e incluir, futuramente, nas suas motos de enduro, de venda ao público, os ensinamentos retirados desta competição. 

Este novo modelo irá participar oficialmente no Rali Dakar 2013 que se realizará a partir de Janeiro próximo. A Honda participou nove vezes desde 1981, no formato original do Rali Dakar, no Continente Africano. Cyril Neveu (França) levou a Honda à sua primeira vitória em 1982, no quarto ano da corrida, e entre 1986 e 1989 a Honda ganhou quatro títulos consecutivos, num registo global de 5 vitórias em 9 anos. 

A Honda vai competir no próximo Rali Dakar com o objectivo de colocar à prova a eficiência de combustível e a resistência das tecnologias desenvolvidas para os novos desafios, e que por sua vez, usaremos posteriormente nos novos modelos de produção comercial. 

O modelo CRF450 Rali é baseado no modelo Honda CRF450X de enduro, mas também dispõe do sistema de injecção de combustível programada (PGM-FI *) da Honda, para garantir a eficiência de combustível e durabilidade. 

A Honda ambiciona a sua primeira vitória em rali, num modelo baseado numa moto de produção. Johnny Campbell (EUA), 11 vezes campeão da EUA Baja 1000, vai juntar-se aos quatro pilotos já anunciados - Hélder Rodrigues (Portugal), Felipe Zanol (Brasil), Sam Sunderland (Reino Unido) e Javier Pizzolito (Argentina) para completar a equipa Honda de 5 pilotos. O modelo CRF450 Rali, actualmente em desenvolvimento, já foi testado no Japão, e será utilizado pela primeira vez no Rali de Marrocos, a partir de 14 de Outubro. 

Os cinco pilotos definidos para competir no Rali Dakar, vão competir no Rali de Marrocos, principalmente para recolher dados, identificar comportamentos da moto em condições e ambiente de corrida e ainda desenvolver a operacionalidade da equipa.
Fonte: Engine Start (link)

03 outubro 2012

Hélder Rodrigues em Colónia na apresentação mundial da Honda CRF450 Rally



A Honda apresentou no Salão Internacional de Colónia – Intermot – que hoje abriu ao público, a Honda CRF450 Rally com que o construtor nipónico aposta num regresso vitorioso ao Dakar, de onde está ausente desde 1989. Hélder Rodrigues, campeão do mundo em 2011, é o piloto nº 1 da equipa, pelo que lhe coube apresentar a nova máquina que se irá estrear em competição já no próximo dia 14 de Outubro, dia em que arranca o Rali de Marrocos. Para o piloto Honda, Red Bull e TMN, esta apresentação foi mais um passo importante dado pela equipa na contagem decrescente para o Dakar.

30 setembro 2012

Verhoeven na Yamaha por dois anos

Yamaha Motor Europe and Yamaha Motor Netherlands have teamed up with the Dutch Dakar rider Frans Verhoeven to challenge for the 2013 and 2014 Dakar Rally. The "Yamaha Netherlands Verhoeven" team will be competing with an officially supported Yamaha 450 four-stroke machine, entered through the famous Yamaha Motor France rally structure, and are aiming to complete the world's toughest off road motorcycle challenge within the top five positions. Rider and team owner Frans Verhoeven will be supported by his own experienced staff along with a dedicated Yamaha Motor France mechanic for full technical support. Yamaha has a strong record of success in the grueling Paris-Dakar Rally and can claim the first ever Dakar victory in 1979 with Cyril Neveu aboard the Yamaha XT 500, going on to repeat the success the following year in 1980. Success continued with the legendary Super Ténéré, taking an impressive six victories with Stéphane Peterhansel from 1991-1993, (in 1991 the Ténéré took the top three podiums spots) 1995, 1997 and 1998. 

The move to South America over the last four years has also delivered success including Hélder Rodrigues winning 2 stages and finishing third in last years Dakar, and on four wheels with Yamaha taking victory in the special quad bike category. Verhoeven entered his first Dakar in 2005 and achieved his best result in 2009 with an eighth place finish. The Dutch endurance rider has claimed three stage victories and recorded two top three stage finishes in 2012. 

Laurens Klein Koerkamp (Yamaha Motor Europe Racing Manager) says: "We are confident that our goal is realistic and can be achieved. The Dakar is the toughest off road motorcycle race in the world, we want to enter and compete with the best and its fantastic that with joined efforts of several organizations within the Yamaha group we have been able to make this happen. The experience and ability of Frans are essential ingredients to this project." 

Arno Sunnotel (Yamaha Motor Netherlands President) says: "I believe this combination has real winning potential. The Dakar is a key event for Yamaha and the ultimate test for our 450 machine. For our market it's also great to have a Dutch rider in the highest ranks of the competition." 

Frans Verhoeven says: "I have proved I can win stages and I could have been in the top five on several occasions if it had not been for bad luck and mechanical issues. Now with the reliability and speed of the Yamaha 450 I believe we can finally show our true potential." 

Fonte

28 setembro 2012

Honda levanta o véu à nova moto para 2013

A Honda já garantiu o regresso em força à prova mítica do Todo-o-Terreno mundial, o Rali Dakar, mas as novidades começam agora a recair sobre a máquina em que o português Hélder Rodrigues estará aos comandos no arranque da prova já em Janeiro de 2013.

Numa conferência de imprensa realizada no Japão, o presidente da HRC, Tetsu Suzuki, desvendou as primeiras imagens da moto que trará o regresso da Honda oficial ao emblemático Dakar Peru Argentina Chile. 

Foram igualmente desvendados alguns dos detalhes trabalhados pelos responsáveis da Honda em prol da nova moto, pormenores que serão oficialmente apresentados já na primeira semana de Outubro, por ocasião da Intermot, uma das maiores feiras internacionais de motos realizada anualmente na cidade alemã de Colónia. 

O Rali de Marrocos, prova marcada de 14 a 20 de Outubro de 2012, deverá ser o primeiro confronto direto da equipa oficial da Honda com a nova moto que, segundo o presidente da estrutura, já está na sua quinta atualização. A mais recente foi beneficiada por uma inspeção dos técnicos da marca em terras sul-americanas, impressionados com o elevado rendimento das ganhadoras motos da KTM. 

Por entre os cinco pilotos que integram a estrutura da Honda no Dakar, apelidada por Team HRC, Hélder Rodrigues será um importante ‘chefe de fila’ e com condições apropriadas à conquista do trono que atualmente pertence ao francês Cyril Després.
Fonte

27 setembro 2012

Al-Attiyah de buggy com motor Chevy V8 em 2013?

We have learned that Nasser Al-Attiyah will drive a buggy built by his own team on the 2013 Dakar. He also intends to compete in a number of cross-country rallies next year and focus on qualifying for the Rio Olympic Games, even if that means taking part in fewer WRC events. Nasser Al-Attiyah is one of only two of the 12 Qatari athletes who qualified for the London Olympics to have won a medal. This weekend marks his return to the WRC at the wheel of his Citroën DS3 WRC/Michelin. He clearly prefers gravel to asphalt, however, since he was already 2m37s behind the leader after today’s first three stages. 

In his defence, he hasn’t driven competitively since May’s Acropolis Rally. Nasser made statements to a rally publication that he intends to take part in the 2013 Dakar in a buggy that is being built by his own team which is based in California, USA. For the moment, the staff comprises around 30 people and the project is backed by Qatar and Red Bull. The team will run two buggies, although the driver of the second car has yet to be confirmed. “But why not Carlos Sainz,” suggested Nasser himself. 

The two buggies will be powered by a seven-litre Chevy V8 engine and the lightweight machines will benefit from longer suspension travel and an electro-pneumatic system that can adjust tyre pressures from the cockpit, which is ideal when switching from rocky ground to sand dunes. The Qatari also told us that he would like to compete on BFGoodrich rubber. For 2013, he could well take part in fewer WRC events and contest a few more cross-country rallies. He will also start shooting again in a bid to qualify for the Olympic Games for the sixth time, in Rio, in 2016.
Fonte

05 abril 2012

Leal dos Santos inscreve o seu nome na lista de vencedores de etapas do Dakar




A dupla Ricardo Leal dos Santos/Paulo Fiúza viu recentemente os seus nomes acrescentados à restrita lista de vencedores de etapas do Dakar, no Dakar Argentina Chile Peru 2012. Nos 29 quilómetros cronometrados da última etapa que levou os concorrentes até Lima, Ricardo Leal dos Santos averbou um tempo de 23m04s, apenas superado pelo Hummer de Robby Gordon. A equipa do americano já tinha sido desclassificada pela organização do rali, mas prosseguiu em prova na sequência do apelo feito pelo piloto, agora formalmente rejeitado.

29 fevereiro 2012

Carlos Sousa deverá continuar na Great Wall

Ao que tudo indica, Carlos Sousa continuará a fazer parte do projeto da Great Wall Motors tendo em vista o Dakar de 2013, com o piloto português a receber do presidente da marca chinesa, Wei Jianjun, a garantia de um reforço do investimento na equipa, além do reconhecimento pelo sétimo lugar na edição deste ano, a melhor classificação de sempre de um construtor chinês na prova.

Sousa, que se encontra na China desde domingo e que participou num evento dos concessionários Great Wall, estabeleceu algumas condições para que a estrutura do Dakar consiga dar um 'salto' qualitativo e os responsáveis chineses concordaram com a análise feita pelo português, apesar de ser improvável que um novo modelo seja construído já para 2013. Esse objetivo deverá ser concretizado no Dakar de 2014, sendo agora necessário debelar alguns problemas estruturais detetados no Great Wall Haval usado por Sousa e Zhou Yong (20º) este ano.


fonte: autosport.pt

01 fevereiro 2012

"Só continuo na Great Wall se houver evolução!"

Após o sétimo lugar no último Dakar, Carlos Sousa não tem ainda definido o seu futuro.

Para o primeiro ano de experiência com a Great Wall o resultado foi positivo, admitindo também o piloto que "com o carro que tinha era impossível fazer melhor". Daí que esteja agora na hora de olhar para a frente e evoluir. Sem reservas e a título pessoal, o piloto considera que "só me interessa continuar na equipa se houver evolução para outros moldes pois caso contrário perderei a motivação por não ter hipóteses de aspirar a bater o meu melhor resultado no Dakar. Se for para continuar na linha do que o projeto foi neste primeiro ano não faz sentido continuar. Este ano fizemos um bom trabalho e estivemos à altura do projeto que nos foi confiado, mas agora é hora de evoluir e o futuro está nas mãos da Great Wall".

Para este segundo ano com a marca chinesa, Sousa admite que os responsáveis da marca "terão que tomar a decisão até ao final do mês de fevereiro, se quiserem investir forte na luta pelos primeiros lugares. Caso queiram apenas manter o investimento inicial aí podem tomar as decisões até ao final de agosto ou mesmo setembro". Para o mais internacional piloto português de TT, a verdade é também que "eles tem consciência da importância dos mercados da América do Sul pelo que, pelo potencial desses mercados, o reforço na aposta do Dakar parece ser o passo mais lógico. O Dakar é um excelente meio de promoção e para uma marca ganhar prestígio e só por isso valerá um investimento maior. Foi isso que lhes transmiti com a minha experiência, mas, como é óbvio, a decisão final é deles e não minha já que, da minha parte, pouco mais posso fazer do que esperar".

Quanto ao potencial do Haval, Sousa refere que "no seu estado de desenvolvimento atual, o carro não se bate com os carros mais rápidos do Dakar". Para que isso aconteça será necessário que "a Great Wall invista num departamento de competição próprio e tenha os seus próprios engenheiros a trabalhar no desenvolvimento do carro".


fonte: autosport

14 janeiro 2012

Entretanto...

..., nos carros Gordon, em WP1, já avia quase cinco minutos a toda a gente!

Sousa está em prova e ao ataque..., para defende o posto de melhor português e para tentar roubar uma posição ao argentino da Toyota Alvarez.

Hélder Rodrigues vence etapa, Despres o Dakar

Erro de Coma na etapa de hoje decisivo para a sorte da corrida.

Despres vai vencer o Dakar...

A ultima grande etapa prometia a batalha do ano.

Assim foi até Coma cometer, há pouco, um grave erro de navegação junto ao WP4. Aqui Despres lidera com Rodrigues a apenas cinco segundos; seguem-se Viladoms, Gonçalves, Barreda, Faria e..., Coma..., a quase treze minutos.

Etapa 12 - resumo

13 janeiro 2012

Navegador de Carlos Sousa no hospital para saber se pode continuar em prova

Do FB de Sousa

A prova de Carlos Sousa e do Great Wall nº 307 esteve hoje para terminar durante a etapa devido a fortes dores de pescoço e cabeça do navegador de Carlos Sousa, o francês Jean-Pierre Garcin. O navegador encontra-se neste momento no hospital, a ser avaliado, e só depois se saberá se a dupla poderá continuar amanhã em prova. Carlos Sousa contou de viva voz o que se passou, quando até estava a fazer uma das melhores prestações em etapas este ano:
"Começámos bem a etapa, mas depois tive que mesmo que levantar o pé porque o Jean-Pierre começou a sentir-se muito mal, queixando-se de fortes dores no pescoço e na cabeça, ainda devido às mazelas do choque de ontem na duna. Por momentos, cheguei a pensar que teríamos que desistir, mas lá conseguimos continuar, embora a um ritmo bem mais lento que na primeira parte da especial. Praticamente sem poder contar com a colaboração do meu navegador até final da etapa, acabei por cometer um erro no percurso que me fez perder mais 15 minutos e, pior que isso, entrar no cordão de dunas final já depois de alguns camiões. Enfim, mais um dia para esquecer e que só acabará agora no hospital, onde o Jean-Pierre vai ser examinado pelos médicos para saber se poderá continuar em prova. Além da competição, preocupo-me com o companheiro e cheguei a perguntar-lhe se preferia parar e acabar mesmo ali o rali, uma vez que a saúde está evidentemente em primeiro lugar. Ele disse-me para continuar, mas apenas não poderia dar o seu contributo. Esperemos pelas suas melhoras".

"Kiss my Ass"



"Os Mini são carros de gaja"..., terá dito ainda Gordon. É isto!

Gordon esmaga!

Vitoria esclarecedora do norte-americano que aviou mais de quinze minutos a toda a gente..., e mais de meia hora a Peterhansel.

...nesta edição do Dakar, a vitoria moral já não lhe escapa; nem a real ao antipático francês.

Hoje deu Coma

Despres, à geral, tem agora pouco mais de minuto e meio de desvantagem para o catalão; boa etapa para os portugueses mas sem alterações significativas na classificação. Rodrigues está assim mais perto de voltar ao ultimo lugar do podium no final da prova.

Juizo final

Chegou o dia das grandes decisões na prova deste ano.

A etapa nem é das mais longas, mas será, com tanta areia e dunas, a mais selectiva – não esquecendo ainda o dia de amanhã.

Nos carros a Mini já só pode perder a competição. Nas motos tudo em aberto entre Coma e Despres com Hélder Rodrigues não muito longe tendo em conta que hoje as diferenças podem ser significativas.

As motos partem para a pista por volta da s12h30 de Lisboa, os carros sensivelmente duas horas depois.

Etapa 11 - resumo

12 janeiro 2012

Carlos Sousa teve um dia verdadeiramente para esquecer

Na estreia do Dakar em território peruano, Carlos Sousa teve um dia verdadeiramente para esquecer, perdendo mais de uma hora na sequência de uma aterragem violenta na transposição de uma duna mais cortada, ainda na primeira parte da especial.

Sem poder recorrer aos macacos hidráulicos e com a frente do seu SUV Haval bastante danificada, o português foi obrigado a esperar pelo seu colega de equipa para poder retomar a corrida e procurar minimizar prejuízos maiores em termos de geral. Para já, baixou a sétimo, a onze minutos do seu adversário mais direto na classificação...

A estreia do Dakar em território peruano, na etapa que ligou as cidades de Arica (Chile) a Arequipa (Peru), num percurso total de 598 km que incluiu uma especial de 478 km dividida em duas partes, revelou-se um verdadeiro tormento para aquele que continua a ser o melhor português em prova na categoria automóvel.

Depois de ontem ver a sua extrema regularidade premiada com a subida ao sexto lugar da geral, a pouco mais de 25 minutos de uma presença no top-5, Carlos Sousa viu hoje as suas aspirações abaladas em consequência de uma aterragem mais violenta na transposição de uma duna, perdendo logo ali mais de uma hora até conseguir retomar a corrida com a preciosa ajuda do seu colega de equipa da Great Wall.

"Tínhamos percorrido já cerca de uma centena de quilómetros na primeira parte especial quando fomos surpreendidos por uma daquelas dunas cortadas tão típicas do deserto do Sahara. Como vínhamos depressa, já não conseguimos parar a tempo e aterrámos de forma algo violenta com a frente do carro.
Encravados entre duas dunas e sem podermos recorrer aos macacos hidráulicos que terão ficados danificados com a força do embate, restou-nos esperar pelo carro do Zhou (Yong) que nos ajudou a retirar o carro daquele local... Perdemos muito tempo, mas pelo menos conseguimos continuar em prova e limitar prejuízos maiores em termos de classificação geral", explicou um desolado Carlos Sousa à chegada ao acampamento de Arequipa, já no Peru.

"Enfim, o Dakar é mesmo isto e hoje calhou-nos a nós ter um dia mau... Valeu-nos, apesar de tudo, a neutralização a meio da especial para recuperar algum fôlego e confirmar se nenhum órgão vital do carro ficou afetado, nomeadamente o radiador. Como tudo estava bem, decidimos atacar forte na segunda metade da especial e tentar recuperar algum do atraso para o Alvarez, que nos passou à geral. Estávamos a ser muito rápidos, só que fomos novamente obrigados a parar mais cerca de 10 minutos para baixar a temperatura do carro e limpar o radiador do muito fesh-fesh que apanhámos nesta parte final do percurso", acrescentou o piloto português do Team Great Wall, hoje apenas o 22º mais rápido na tirada, onde cedeu mais de 1h36m para o vencedor.

Contas feitas, e apesar de todas estas contrariedades, Carlos Sousa baixou apenas um lugar à geral, sendo ultrapassado pela Toyota de Lucio Alvarez, mas ficando a menos de 11 minutos do sexto posto agora ocupado pelo piloto argentino. "É algo que temos que recuperar até final", prometeu Carlos Sousa.
Para amanhã - sexta-feira, 13 - a organização avisa que a etapa entre Arquica e Nazca poderá revelar-se uma das mais duras desta edição! Serão apenas 245 km de especial, mas cumpridos numa região particularmente árida - o vale de Nazca. O ponto alto da jornada será a passagem por um cordão de dunas que se estende por 20 km sem a mínima interrupção. Um verdadeiro teste à perícia dos pilotos e à resistência das já débeis mecânicas a apenas dois dias da chegada à capital Lima.

CLASSIFICAÇÃO - ETAPA 11

1º Peterhansel/Cottret MINI 3h56m53s
2º Roma/Périn MINI a 3m44s
3º Leal dos Santos/Fiúza MINI a 8m56s
4º De Villiers/Von Zitzewitz Toyota a 9m28s
4º Gordon/Campbell Hummer a 14m14s
5º Novitskiy/Schulz MINI a 10m15s
(...)
22º SOUSA/GARCIN GREAT WALL a 1h36m50s

GERAL - APÓS ETAPA 11

Cl. Piloto/Navegador Carro Tempo/Dif.
1º Peterhansel/Cottret MINI 32h38m05s
2º Roma/Périn MINI a 22m49s
3º De Villiers/Von Zitzewitz Toyota a 1h11m01s
4º Gordon/Campbell Hummer a 2h10m31s
5º Novitskiy/Schulz MINI a 2h11m10s
6º Alvarez/Graue Toyota a 3h53m51s
7º SOUSA/GARCIN GREAT WALL a 4h04m43s


[fonte]

Mini mais perto da vitoria...

...com os problemas de Gordon. A vida também parece não correr nada bem, hoje, para Carlos Sousa - ambos em WP5 perdiam mais de uma hora para os Mini.

...quem brilha é Leal dos Santos que pode hoje ser terceiro na etapa só atrás de Peterhansel, o vencedor, e Coma.

Mais uma para Despres

O francês lidera agora com dois minutos e vinte e dois segundos de vantagem sobre Coma. Hélder mantém o terceiro posto à geral

No Peru...

MOTOS

EM WP4: Guell, Aubert +47'', Despres +1'15'', Zanol +2'50'', Coma +3'02''; Rodrigues é decimo segundo a cerca de sete minutos.


AUTOS

Em WP2: Gordon, Peterhansel +2'29'', Roma 3'27'', De Villiers +6'18''.

WP4: Peterhansel, Roma +1'59'', Gordon +6'02'', De Villiers +7'14''.

Ainda a penalização a Gonçalves

A referida penalização terá sido imposta pela organização devido a Paulo Gonçalves ter sido acusado por outros pilotos, por alegadamente ter sido rebocado por um automóvel quando ficou atolado em lama na etapa de ontem.

"Não corro mais pela Hummer"

As relações entre Nasser Al-Attiyah e Robby Gordon parecem ter chegado a um ponto crítico após o abandono do piloto qatari. Após diversos problemas mecânicos ao longo das etapas, e não obstante dois triunfos em especiais, Al-Attiyah viu-se forçado a abandonar devido a uma correia de distribuição partida. E Al-Attiyah deixou o seu desagrado patente.

"Nunca mais voltarei a competir pela Hummer nem na equipa de Gordon", é citado o vencedor da edição do ano passado do Dakar no site da revista argentina Corsa, a qual revela que o piloto pagou cerca de 500 mil dólares para competir no Dakar de Hummer depois de a Volkswagen ter inviabilizado qualquer hipótese de uma participação semioficial.

Robby Gordon, mentor do projeto, defendeu-se e considerou que a culpa não é do Hummer H3 mas sim do piloto, "por pisar em demasia o acelerador". E por ocasião do seu triunfo na nona especial, admitiu que "com esta vitória, demonstrei que o carro pode estar nos lugares de topo. Se ele queria abandonar, não sei o que fazia aqui nestes dias. Fim da história".

Para Al-Attiyah, a gota de água com o Hummer terá sido o problema com a correia de distribuição, como revela a dupla chilena composta por Fernando e Álvaro León, que em declarações ao órgão de comunicação chileno La Tercera, explicaram que o qatari optou por recusar a ajuda destes e 'ir embora' ao invés de chegar ao final com o último tempo.

"Estávamos na segunda parte e vimo-lo sobre uma duna. Fez-nos sinais e fomos lá ter. Ele é bastante simpático. Assumimos que nos chamou ao levantar a mão, ainda que teríamos lá ido de qualquer forma para saber se podíamos ajudar. Ele disse 'Hello my friend' (olá meu amigo) ao meu pai e o seu navegador, o espanhol Lucas Cruz, também me conhece", refere Álvaro León, navegador da equipa AutoGasco.

"Ele mostrou-nos que estava com a correia de distribuição partida e estavam a repará-la com tiras de plástico. Nós oferecemos a nossa correia de substituição que tínhamos, a não era exatamente igual, mas era muito semelhante com algo como dois centímetros de diferença. Oferecemo-nos para mudá-la, já que os tensores cedem e poderia servir, mas não quis. Disse que vinha o camião mais atrás, mas creio que estava há muito tempo ali parado, pelo que reparar, seguir e chegar em último lugar não era o seu objetivo", acrescentou ainda, destacando a simpatia de Al-Attiyah.

"Ele disse que não, que ficássemos com a nossa correia porque assim poderíamos seguir em segurança até ao final da corrida, pelo que subimos ao nosso carro, ele aproximou-se e apertou-nos corretamente os cintos de um lado e doutro, súper simpático", finalizou o relato publicado no La Tercera.


fonte: http://clix.autosport.pt/

Etapa 10 - resumo

11 janeiro 2012

Seis horas de penalização para Gonçalves...

...por um motivo que ainda ninguém conseguiu compreender. Mas é esta a conta creditada na classificação oficial do motociclista português.

Mais Mini

Roma vence novamente uma etapa; mas a "cena" do dia é o atraso de Gordon.

Na geral Peterhansel é mais líder tendo agora Roma a pouco mais de dezanove minutos e Gordon a quase vinte. Sousa pode subir ao sexto posto da geral devido aos problemas de Holowczyc.

Gordon parado ao km.316 da especial

Ainda falta muito para Lima, é certo, mas a Mini pode começar pôr o champanhe no gelo!


...entretanto o piloto americano já voltou à pista; veremos quanto tempo terá perdido no fim da etapa.

Décima já rola...

MOTOS

Gonçalves vinha na frente da etapa mas não aparece em WP5; contudo não há report de avaria. Barreda, Coma +2'00''. Rodrigues +2'27'', Despres +3'58''.

AUTOS

Holowczyc encontra-se parado ao km. 48!!

WP2: Roma, Peterhansel +1'23'', De Villiers, +2'07'', Leal dos Santos +2'18'', Novitskiy +2'21'', Gordon +3'42'', Vos+ 4'41'', Sousa 5'21''.

WP4: Roma, Peterhansel +1'07', Gordon +2'24'', Leal dos Santos +3'03'', De Villiers +3'12'', Novitskiy +5'09''; Sousa é décimo a 9'42''.

A primeira para Barreda Bort

Coma +1'32', Despres +3'39'', Rodrigues +5'16''. Gonçalves perde cerca de quinze minutos para os da frente e cai para fora do Top 5.

Despres segura a liderança por apenas vinte e um segundos.

Inquebrável?

Etapa 9 - resumo

10 janeiro 2012

Estes franceses estão loucos?

Ficou famosa a cena de ontem, quando Despres deixa Gonçalves plantado na lama depois deste o ter ajudado a sair de lá.

Hoje outro francês é protagonista pelas piores razões. Peterhansel, ele mesmo um ex-motrad, atropela ostensivamente um motociclista na tresloucada luta pelos segundos.

Para Despres e Peterhansel fica um simples desejo: que destruam rapidamente as suas mecânicas e tenham que abandonar esta prova..., assim, não andam lá a fazer nada!

Hélder herda vitória

A nona etapa do Dakar, que ligou Antofagasta a Iquique, continha a mais longa especial desta edição, com 556 km, uma tirada a que Cyril Després se atirou de “faca nos dentes”. O francês, que ontem viu serem-lhe “presenteados” pela organização os 8 minutos perdidos no lamaçal ao km10, bem como a outros cinco pilotos (entre os quais Paulo Gonçalves) com o pretexto de que o local não estava descrito no road book, acabou por sair hoje apenas a pouco mais de um minuto de um Marc Coma bastante agastado com a decisão da ASO. Coma considera que a decisão é contra o espírito do Dakar, que é sobre vencer as dificuldades. “Eu passei no local sem dificuldades . Amanhã, se eu ficar preso numa duna, não vou esperar que me devolvam o tempo”, disse o espanhol ao El Mundo.

Després acabou mesmo por vencer no terreno o dia de hoje, com menos 6m58s que Coma, e passou a liderar a geral com uma vantagem de 2m28s sobre o seu rival, que foi segundo.
Joan Barreda foi o terceiro mais rápido, seguido de Hélder Rodrigues e Paulo Gonçalves, com Ruben Faria em 13º. Hélder reforçou o terceiro lugar, pois o seu perseguidor imediato, David Casteu, teve uma avaria que o fez perder três horas. Nestas condições, Paulo Gonçalves recuperaria o seu 4º posto da geral, mas depois vieram as penalizações…

Já esta noite, foram averbados 15 minutos de penalização a Marc Coma e Cyril Després, devido a ambas as KTM 450 Rally terem feito uma troca de motor que estava previamente agendada, na noite anterior. Também vários outros pilotos sofreram hoje penalizações de 15 minutos, entre os quais Paulo Gonçalves, Pedro Bianchi Prata e Ruben Faria, e, embora ainda não tenhamos confirmação, terão sido devidas a terem trocado de motor na noite de ontem.

Com tudo isto, a vitória na etapa acabou por ser entregue a Hélder Rodrigues, e Paulo Gonçalves desce para 7º da geral, enquanto Ruben Faria, mesmo assim, sobe um degrau, para o 12º posto, ele que sabia que, passados poucos quilómetros da partida, teria que parar para esperar por Cyril Després. Bianchi Prata é agora o 51º colocado.

A etapa de amanhã liga Iquique a Arica e conta com uma especial de cerca de 377 quilómetros. O início da corrida será brindado com uma vista espectacular sobre algumas das melhores praias do mundo para a prática do surf. O Oceano Pacifico será um companheiro de viagem ao longo de muitos quilómetros nesta especial. A meio da etapa sugirão novamente os extensos cordões de dunas do Atacama que, nesta fase, poderão ditar a sorte de muitos. Os pilotos terão que redobrar a atenção devido à zona de fesh-fesh que marca o final da etapa.


fonte: motociclismo.pt

Cyril "FDP" Despres vence e volta ao comando da prova

Na geral Coma é agora segundo a pouco mais de dez minutos; Hélder mantém o terceiro posto a quase uma hora e Gonçalves volta "ao seu" quarto lugar.

Nona etapa

MOTOS

Em WP2: Despres, Barreda +11', Coma 26'', Rodrigues +32'', Svitko +1'17'', Ullevalseter +1'34''. Gonçalves +1'38''.

Em WP5: Despres, Coma 3'27'', Barreda +4'13'', Rodrigues +7'13'', Ullevalseter +8'33''.

Em WP7 (inicio neutralização): Despres, Coma 3'30'', Barreda +4'54'', Rodrigues +9'33'', Gonçalves + 9'54'', Farres +11'15, Ullevalseter +11'40''.

Em WP9: Despres, Coma 3'26'', Barreda +5'03'', Rodrigues +9'51'', Gonçalves + 10'17'', Farres +11'43, Ullevalseter +11'55''.

AUTOS

Em WP2: Al-Attiyah, Gordon +25'', Peterhansel +29'', Holowczyc +1'24'', Novitskiy + 2'19'', Roma +2'30''.

Gordon ataca fortemente a liderança..., em WP4 bate Peterhansel por quase três minutos

Em WP7 (inicio neutralização): Gordon, Peterhansel +37'', Holowczyc +2'35'', Roma +4'36'', Leal dos Santos 8'43'', De Villiers +11'00'', Sousa +14'30'', Novitskiy + 17'07''.

Fim de prova para Nasser Al-Attiyah

...o alternador morreu de vez.., depois de tantos problemas que tem dado nos últimos dias.

Grande prova do piloto do médio oriente. Parabéns!

Etapa 8 - resumo

09 janeiro 2012

Novo erro da organização

...pelo menos desta vez tiveram coragem de o assumir e minimizar.

Les temps des premiers motards en spéciale ce matin ont été ajustés par les officiels : plusieurs d'entre eux ont été stoppés par la boue vers le kilomètre 10 du chrono. Le parcours du jour, ayant été modifié après le passage de la 7ème moto, afin de ne pas bloquer la caravane dans ce rio boueux, la direction de course a décidé de décompter les temps d'arrêt de Coma, Despres, Gonçalves, Rodrigues, Farres Guell, Ullevalseter et Casteu. Conséquence : au général, Marc Coma s'empare bel et bien du pouvoir, mais seulement 1'26 devant Cyril Despres. Derrière la lutte pour le podium est toujours en cours entre Helder Rodrigues, troisième, 20'51 devant David Casteu, nouveau quatrième. Paulo Gonçalves pointe lui désormais au cinquième rang, 2'19 derrière le Français.

Coma não concorda e vem dizer que a decisão atenta contra o espírito da corrida (link).

Nada está perdido para Gordon

Não podia ser melhor.., à entrada da derradeira semana de prova Roma vence a etapa, Gordon faz segundo e ambos ganham mais de cinco minutos ao líder da prova o francês Peterhansel. Estes e Holowczyc estão agora separados por cerca de doze minutos faltando ainda tanto por correr...

Teremos Dakar até ao fim?

Na frente lusa... mais boa etapa para Leal dos Santos e Carlos Sousa, em linha com o que têm feito até aqui.

Coma dá mais de dezassete minutos a Despres e vira prova a seu favor

Faria foi segundo na etapa.
Rodrigues foi quinto e mantêm o terceiro posto à geral. Já Gonçalves terminou a etapa como a tinha começado..., perdeu mais de maia hora para Coma e caiu para fora do top-5 da geral.

Oitava etapa na pista

MOTOS

Inicio agitado nas motos; Despres e Gonçalves ficaram presos na lama apenas ao quilometro dez da especial..., e terão perdido perto de uma dezena de minutos.

Mudança na liderança nas motos à vista

WP3: Coma na frente; Rodrigues é 8º a cerca de cinco minutos enquanto Despres e Gonçalves perdem cerca de catorze minutos para o espanhol.

WP6: Coma na frente; Rodrigues é 6º a cerca de sete minutos enquanto Despres e Gonçalves já perdem mais de quinze para o espanhol.

Nos carros Al-attiyah teve um mau arranque de etapa e já perde mais de quinze minutos para Gordon e os Mini da frente. Leal dos Santos e Sousa vão fazendo uma etapa em linha com o que têm feito nos últimos dias.

Spinelli: "Sei que ninguém me viu, mas não poderia dormir com a consciência tranquila!"

"Sei que ninguém me viu, mas não poderia dormir com a consciência tranquila! Foi com estas palavras que o brasileiro Guilherme Spinelli encerrou a sua participação no Dakar 2012, ao confessar aos Comissários Desportivos que cometeu uma ilegalidade, e só dessa forma conseguiu chegar ao final da etapa.

Felizmente, ainda há pessoas a quem a consciência pesa, e foi com um notável desportivismo que o brasileiro foi para casa, ciente que era a melhor atitude a tomar face ao sucedido. Tudo se passou na especial entre Chilecito e Fiambalá quando o Mitsubishi de Spinelli sofreu um problema mecânico, com o alternador do seu Mitsubishi Lancer a ceder. Esteve bastante tempo parado até que aceitou a ajuda dum espetador argentino, que lhe trouxe um novo alternador. Piloto e copiloto colocaram-no e rumaram ao final da etapa.

Mais tarde, a consciência pesou-lhe e confessou tudo aos Comissários: "Sei que ninguém nos viu, mas não poderia terminar o Dakar sabendo que tinha feito batota. Não poderia dormir descansado. A honestidade é a minha prioridade e única motivação. É pena pois o Dakar só se realiza uma vez por ano. Estávamos a fazer um bom rali, a evoluir em termos de performance mas infelizmente não tivemos sorte. Agora é voltar para a casa e começar a se preparar para o ano que vem.", referiu Spinelli.

"É um sentimento de frustração por toda a nossa dedicação e de toda a nossa equipa. Este ano, estávamos com um desempenho superior ao do ano passado e por isso é muito duro ter que sair da prova assim por algo que não está dentro do nosso controlo. Mas agora é seguir em frente, aprender com erros e aproveitar o que deu certo para o próximo Dakar.", disse Youssef Haddad, o navegador.


[fonte]

'Chaleco' López fora do Dakar

O chileno 'Chaleco' López Contardo está fora do Dakar devido a uma lesão contraída no joelho direito, em sequência duma queda com a sua Aprilia na etapa de ontem: "Este Dakar, infelizmente, para mim acabou. Quando cheguei ao acampamento sentia muitas dores, e o médico disse-me que é impeditivo para controlar a moto de forma eficiente", referiu.

[fonte]

07 janeiro 2012

Etapa 7 - resumo

Brilhante "speddy" Gonçalves

Paulo Gonçalves foi terceiro numa etapa em que foi o único a aguentar o andamento diabólico de Coma - vencedor da etapa - e Despres, que mantém a liderança da prova.

"Speddy" sobe assim ao quarto posto da geral enquanto Rodrigues (que atacou forte no fim da especial) foi quarto na etapa mantendo o lugar no podium à geral.

Bela prestação dos motociclistas lusos.

Dakar 2013: Lima-Santiago de Chile

A una semana para que termine el Dakar 2012, ya se confirmó que la próxima edición unirá Lima (Perú) y Santiago de Chile.

La edición 2013 del Dakar ya está tomando forma. La carrera atravesará Perú, Chile y la Argentina, que por primera vez no contará con la largada o la llegada, pero sí tendría el día de descanso. Como ya había anunciado ASO, la prueba comenzará en Lima (Perú). Solo restaba definir el punto de llegada, que será en Santiago de Chile según lo confirmó el subsecretario de deportes chileno Gabriel Ruiz-Tagle

"Anunciamos la llegada del Dakar 2013 en la zona central, estamos viendo la opción de que el fin de la prueba incluya a Viña del Mar, Valparaíso y Santiago. En la Quinta Región terminaría la parte deportiva y simbólicamente la llegada será en la plaza de la Constitución, en donde se premiará a los ganadores", señaló Ruiz-Tagle. El funcionario dijo que está casi todo listo y que sólo "tenemos que ajustar técnicamente la carrera con ASO".

Con este anuncio se confirmó que la Argentina será país de paso, aunque trascendió que tendría el día de descanso. La provincia elegida sería Córdoba. Vale recordar que Buenos Aires fue punto inicial y final en las ediciones 2009, 2010 y 2011. Mientras que Mar del Plata fue el lugar de largada este año.

Pero la edición 2013 también tendría novedades en los días de disputa. No se largaría sobre Fin de Año, sino el 6 de enero. Mientras que el final sería el 20 del mismo mes.


[fonte]

Já roda a sétima etapa

MOTOS

Nota: Rodrigues foi apenas o vigésimo a partir para a pista tendo saído quase meia hora depois de Despres, o motard que hoje abre a corrida; como tal contem com algum delay no seu tempo

WP1: Coma, Lopez +12'', Despres +14'', Barreda +18'', Verhoeven +28'', Faria +35'', Svitko +35''. Gonçalves +42''. Rodrigues apenas 12º a 48''.

WP2: Coma, Barreda +28'', Despres +1'03'', Svitko +1'27'', Gonçalves +1'29'', Guell +1'39'', Verhoeven +1'44'', Faria +1'58''. Rodrigues 10º a 2'25''.

Entretanto..., Chaleco Lopez terá caído ao Km. 83 mas, aparentemente, voltou ao seu andamento normal..., mas já perde quaase 9 minutos para Coma.

WP3: Coma, Barreda +37'', Despres +1'41'', Gonçalves +1'57'', Svitko + 2'23'', Guell +2'28'', Faria +3'14.

WP4 (inicio da neutralização) : Coma, Barreda +18'', Gonçalves +1'45'', Despres +1'46'', Svitko + 2'13'', Guell +2'14'', Faria +2'44. Rodrigues é 12º a 4'49''.

Chaleco Lopez continua a perder tempo..., Gonçalves tem tudo para subir já hoje ao quarto posto da geral.

WP6: Coma, Barreda +20'', Gonçalves +2'07'', Despres +2'13'', Svitko + 2'54'', Guell +3'05'', Faria +3'28. Rodrigues é 12º a 5'18''.

(Barreda toma caminho errado e perde frente da corrida; Svitko também se atrasou)

WP7: Coma, Gonçalves +2'00'', Despres +2'07'', Ullevalseter +4'00'', Guell +4'51'', Casteu +5'39, Viladoms +5'52'', Rodrigues +5'57''.

WP8: Despres e Coma chegam juntos à zona das dunas..., veremos o que se passa entres estes dois últimos WP.

AUTOS

WP4 (inicio da neutralização) : Peterhansel, Al-Attiyah +32'', De Villiers +1'20'', Roma 2'+16'', Holowczyc +2'39'', Leal dos Santos +2'44'', Novitskiy + 3'38'', Gordon +3'42'', Sousa +3'53''

Sétima etapa

With 154 kilometres of link stage, the seventh day of the Dakar 2012 starts out from Copiapó. In fact, the competitors will follow a loop route that will return to the bivouac in the capital of the Atacama region. With 12 millimetres of rain per year, it is one of the driest areas of the planet and the nearby desert will be the terrain of choice for the crews during this stage, all the more so after the cancellation of the previous special. Between the duel concerning the official KTM riders, Cyril Despres et Marc Coma, in the bike race, the battle amongst Argentineans in the quad category, where the Patronelli brothers will be taking on Tomas Maffei, the incredible combat between the trucks which De Rooy's Ivecos are dominating and the car race, in which nobody has managed to open up any big gaps, the competition is likely to experience a few hours of intense suspense… Because there are no less than 419 kilometres of special stage, the longest distance against the clock since the start of the rally. The day's proceedings will take place over earthen tracks and sand, with a section of dunes to be crossed that represent one of the biggest challenges of this first week. Competitors will have to beware of the Camanchaca, a type of fog typical of the area, which could significantly restrict visibility in certain sections.

The loop will be the biggest challenge of the week, although the beginning of the special stage, which will travel along tracks in the middle of the hills and cacti, might appear easy. But afterwards, the strain of the kilometres covered since Mar del Plata will begin to take their toll, exactly at the time when a great number of dunes will follow one after another. The last string of dunes to be crossed, so near and yet so far from the fi nish, may well resemble a bivouac which has been transported to the middle of the desert. Thankfully for the latecomers who pitch their tents, the regulations allow vehicles to be presented until 6 pm on the rest day.

fonte: dakar.com

Primeira moto na pista cerca das 13h. (de Lisboa); primeiro auto cerca de duas horas depois...

06 janeiro 2012

Paso San Francisco by Nani Roma

Por dentro do Team SPEED/ToyoTires

A caravana do Dakar segue para Copiapó

Since 8 o'clock local time, the competitors and organisation vehicles on the Dakar 2012 are heading towards the bivouac at Copiapó in Chile. Since the day's stage has been cancelled for safety reasons due to snow on the route, the cars, bikes, quads and trucks are on the link stage for the entire route planned for Friday. The border crossing between Argentina and Chile, at the Paso San Francisco pass, closed to the public by the authorities has been specially opened for the rally caravan. It has been reached by the first competitors, who are currently carrying out the administrative formalities at the border post. Juan Pedrero Garcia, Pal Anders Ullevalseter, Joan Barreda Bort and the second-placed rider in the general classification, Marc Coma, are in the leading group. They have covered a little more than 200 kilometres out of the 641 km which will lead them to their destination.

fonte: dakar.com

Etapa 6 cancelada

Para nós e para quem segue este blogue este comunicado da direcção de prova não constitui nenhuma novidade. Ontem, pelas 23 horas de Lisboa, já tínhamos aqui (link) deixado esta possibilidade no ar.

Desta vez a ASO pouco poderia fazer..., a meteorologia é quem mais ordena e com a vida humana não se brinca.

Lamentável mas..., é o Dakar!

Due to the bad weather continuing over the Andes Cordillera (rain and snow), the Chilean authorities were forced to close, for the night, the border at Paso de San Francisco.
For the 7th time, the Dakar is about to cross over the Andes, and because of very unfavourable conditions, added to the fact that the course has been hit by rain and snow, in order to guarantee the security of the competitors and those following the rally, the organisers have decided to cancel the stage and organise a convoy for all vehicles tomorrow.

Sousa dixit

Depois de quatro dias de intenso calor, despedimo-nos hoje da Argentina com uma etapa que começou logo por ser encurtada pela Organização devido à forte chuva que ali caiu na noite passada... Ainda assim, passamos dos 40 a 45 graus dos últimos dias para os cerca de 30 a 35 graus de hoje. A febre já quase passou, mas as noites continuam a ser muito mal dormidas. O cansaço já se vai acumulando e desde ontem que estou praticamente sem voz, o que é mau para as entrevistas. É curioso, mas à excepção dos anos em que o Dakar saiu de Portugal, acho que nunca fui tão solicitado como agora pela imprensa estrangeira. Ontem, por exemplo, deu uma entrevista de mais de meia-hora a uma televisão francesa. Adivinhem quem a fez? Um tal de Luc Alphand... Lembram-se dele?
Mas voltemos ao dia de hoje e a uma especial que já tinha já disputado em 2010. Com bem menos calor, a opinião geral é que se tratou de uma etapa sem grandes dificuldades, incluindo na chegada às famosas dunas de Fiambalá. Confesso que não sinti o carro muito a meu gosto - continua muito saltitão, apesar de termos alterado novamente o set-up das suspensões e a pressão dos pneus. E acabei por ser demasiado cauteloso em alguns pontos da especial. Apesar de tudo, lá voltei a subir mais um degrau na geral. Daqui para a frente já será mais difícil subir na classificação, até porque amanhã e sábado esperam-nos dois dias particularmente difíceis. Talvez mesmo decisivos para alguns dos favoritos. E os Minis lá continuam na frente. Impossíveis de apanhar em condições normais.

05 janeiro 2012

Fronteira por onde a prova deve passar está encerrada devido à neve

A confirmar-se..., teremos bronca!!

La nieve obligó a tomar nuevamente la medida en el paso San Francisco. Los competidores debían cruzar mañana.

El Dakar 2012 enfrenta un complicado escenario debido a que a causa de la nieve se cerró nuevamente el paso fronterizo San Francisco, por donde debe ingresar mañana la caravana a Chile.

Debido a la acumulación de nieve, especialmente en el lado argentino, el paso ya había sido cerrado en estos días, pero la rápida acción de los servicios públicos chilenos y las autoridades argentinas permitió despejar la vía.

En ese momento, existía confianza en las autoridades en que se cumpliría con el cronograma de la prueba.

El problema es que comenzó a nevar nuevamente, por lo que se debió tomar otra vez la medida de cerrarlo, luego de que alcanzará a pasar parte de la delagación, principalmente vehículos de avanzada de la organización.


{fonte]

Etapa 5 - resumo

Nasser novamente desapontado...

Do sitio oficil..., the spare wheel was loose and it hit the engine water pipe, breaking it and after the temperature was very high, so we stopped to repair again and lost a lot of time. But what can I do? I was really having a good run, I was doing my maximum but I don't know what's wrong, you know. My plan today was to take at least ten minutes from everybody and that's what was happening because I was really fast until CP2, I think. But after, we stopped there because we needed water and to fix and prepare the car. So, yes, I'm disappointed again!

Mini dominio

Uma vez mais..., depois de andar sempre na frente Al-Attiyah parou depois de CP2


Holowczyc vence, Gordon +1'01'', Peterhansel +3'52'', Roma +7'47'', Novitskiy +8'18'', Leal dos Santos +9'19'', Sousa +14'02'', De Villiers +19'12''. Al-Attiyah foi 11º.

Os Mini ocupam agora os três priemiros postos da geral e Sousa sobe ao setimo posto com o atraso de Al-Attiyah.

Despres vence quinta etapa...

..., pois a mesma acabou em WP3.

Despres, Coma +1'41'', Barreda +12'42'', Svitko +13'55, Viladoms +14'17'', Ullevalseter +14'41'', Faria +14'51'', Ferres Guell 18'49'' Lopez +19'10'', Gonçalves +19'31, (...) Rodrigues foi 14º a 21'08''.

Apesar da má etapa Rodrigues mantem o terceiro posto à geral e Gonçalves sobe ao quinto lugar!!

Enfim..., já rola

EM ACTUALIZAÇÃO...


MOTOS

Em WP1: Despres, Coma +58'', Rodrigues +1'28'', Faria +2'42'', Svitko +2'46'', Barreda +3'01'', Ullevalseter +3'07'', Pizzolito +3'44'', Villadoms 3'49'', Gonçalves é 13º a 8'20''.

Em WP2: Despres, Coma +58'', Rodrigues +4'58'', Barreda +10'10, Casteu +10'32'', Svitko +10'32'', Casteu +10'32'', Viladoms +10'39'', Faria +11'13''(...) Lopez +14'33'', Gonçalves +16'21''.

..entretanto David Casteu stopped after 133 km of the special stage, just after reaching CP1. He appears to have lost half a dozen minutes at this point.

Em WP3: Rodrigues perde tempo precioso para a frente da corrida..., Despres, Coma +1'41'', Barreda +12'42'', Svitko +13'55, Viladoms +14'17'', Ullevalseter +14'41'', Faria +14'51'', ferres 18'49'' Lopez +19'10'', Gonçalves +19'31, Garcia +20'45, Rodrigues +21'08''



AUTOS

Em WP2: Al-Attiyah, Holowczyc +1'42'', Gordon 2'17'', Peterhansel +2'44'', De Villiers +4'44'', Novitskiy +4'48'', Leal dos Santos +4'48'', Roma +5'02'', Sousa +6'04''.

Em WP3: Al-Attiyah, Holowczyc +2'24'', Gordon 2'46'', Peterhansel +4'56'', Novitskiy +7'47'', Roma +7'52'', Leald dos Santos +7'59'', Sousa +11'30''

...entretanto De Villiers esteve parado ao km. 76 tendo perdido uma dezena de minutos para a frente da corrida.

Peterhansel já em WP5 quase no fim da especial!!

ASO merde

Os trapalhões estão de volta...

The timed section, which will start in the following minutes, will be shortened due to the heavy rainfall that has adversely affected the end of the stage route. The finishing line will therefore be moved to the 186 km point, instead of the 265 km, as previously planned for the bikes. The route for the cars and trucks remains unchanged apart from the removal of the first 24 kilometres decided upon during the night.

...mais modificações na etapa, agora para os motards, que viram ainda a saída da etapa atrasada em trinta minutos.

Ficaremos por aqui no corte-e-costura ASO merde?

Terranova abandona

...alegadamente por problemas pessoais de Andy Grider, seu navegador. Azar para o piloto argentino.

Es el peor momento de mi carrera deportiva ya que nunca habia llegado en tan buena condicion. Quiero agradecer a todos por su apoyo! ...acaba de dizer o piloto no twitter.

Quinta etapa na pista...

Ora.., ora; já cá faltavam as normais amputações de etapa. Segundo o sitio oficial da prova:

Due to the heavy rain that fell on the provinces of La Rioja and Catamarca, the start of the stage for cars and trucks has been moved to the 24 km point, shortening the stage by this distance. As a result, the cars will set off on the link stage 30 minutes later. The first car, driven by Stephane Peterhansel, yesterday's winner and new leader of the general standings, left Chilecito at 6.45 AM local time. A total of 138 cars feature on the list of starters.

É a ASO no seu melhor..., qualquer razão serve para "avacalhar" o raly. Hoje foi a chuva amanhã ou depois será outra qualquer razão. O normal desde que a prova foi para a America do Sul.

Enfim..., hoje temos a prova mais cedo na estrada para a dura e temida etapa das dunas brancas na região de Fiambala. As motos na pista já daqui a pouco pelas 11h30 de Lisboa.

Outra boa etapa para Carlos Sousa

Foi uma etapa bastante exigente e particularmente dura na sua fase inicial, ondepreferi jogar pelo seguro para evitar furar, algo que tem sido recorrente nos doisúltimos dias. Após alcançarmos um topo a quase 3.500m de altitude, fomosaumentando gradualmente o ritmo e acabámos por fazer aquela que é, para já, anossa melhor etapa neste Dakar, após os pequenos contratempos sofridos nos últimos dias (...). Estou a aprender o carro a cada dia e como é natural sinto-me cada vez maisconfiante. Tenho vindo a fazer pequenas alterações no set-up do SUV Haval,procurando encontrar uma solução para a excessiva tendência que o carro tem de fugir de traseira…
Mas não tem sido fácil, até porque a equipa está também ainda aaprender o carro. À parte disso, a grande dificuldade tem sido mesmo manter um ritmo constante com este calor abrasador! Felizmente, já baixou a febre e não tivehoje nenhum concorrente distraído a tapar-me o caminho, pelo que pude guiar já mais concentrado, numa especial que exigiu também muito trabalho de navegação.

04 janeiro 2012

Etapa 4 - resumo

Peterhansel vence e assume liderança da prova

O Público fala em lição (link) dada por parte do francês mas..., só pode ter sido porque não acompanhou a etapa como nós o fizemos.

Enfim..., Al-Attiyah, o grande dominador da etapa, acabou por encontrar problemas quase no fim da mesma e tudo fica mais fácil para os Mini lá na frente.

Boa etapa para Sousa que ascende ao oitavo posto da geral.

...e nos autos.

Al-Attiyah ataca fortemente a liderança da prova. Em WP5 é lider com +3'03' que Peterhansel, seguidos por: Terranova +4'35'', De Villiers +7'52'', Roma +8'46'', Ten Brike +10'10'', Holowczyc +11'41'', Novitskiy 13'01'', Sousa 13'11''.

Coma vence nas motos...

..Despres +2'02'', Verhoeven +8'26'', Rodrigues +9'01'', Gonçalves +11'18'', Lopez +14'15''.

Na geral despres tem agora uma vantagem de 8'10'' para Coma. Hélder Rodrigues já é terceiro a 26'48'', caindo Lopez para a quarta posição a quase meia hora do líder.

Quarta etapa na pista...

Inicio da especial para os motards pelas 12h45 - hora de Lisboa; para os autos cerca de duas horas mais tarde...

The most experienced drivers will be able to enjoy counting the dried-up rivers that they will cross during the day. They will also have time to admire the spectacular canyons of the Province of Rioja, but it is in their best interest to remain extremely vigilant. Nobody will be able to keep up a steady pace during the special stage. Whether it be the navigational subtleties at the end of the route or the small hurdles to overcome, there will be many occasions to lose time here. It is likely that once the rally has reached Chilecito, one or two of the competitors will have already been eliminated from the battle for the title!

Inicio de especial calmo nas motos..., em WP1: Coma, Gonçalves +13'', Despres +15'', Lopez +1'06'', Verhoeven +1'08'', Rodrigues +1'10'', Faria+1'19'', Casteu +1'20''.

...em WP2: Coma, Lopez +2'06'', Pain +2'34'', Rodrigues +2'37'', Despres +2'49'', Verhoeven +3'03''. Gonçalves seguiu caminho errado e já perde mais de oito minutos para Coma

...em WP3: Coma, Despres +1'51'', Rodrigues +2'34'', Pain +3'05'', Ullevalseter +3'28'', Lopez +3'29'', Verhoeven +3'03''. Gonçalves é 18º a 8'21''

...em WP4: Coma, Despres +2'48'', Rodrigues +4'33'', Pain +5'54'', Lopez +5'59'', Gonçalves +6'46'', Ullevalseter +7'00''.

...em WP5: Coma, Despres +3'49'', Rodrigues +6'20'', Svitko +6'50'', Gonçalves +7'43'', Verhoeven +8'23', Garcia +9'37'', Lopez +10'21''

...em WP6: Coma, Despres +2'47'', Verhoeven +8'11', Rodrigues +8'17'', Gonçalves +10'25''.

Os autos vão chegando a WP1: Al-Attiyah, Holowczyc +24'', Roma+31'', Terranova +41'', De Villiers +42''. Sousa oitavo a um minuto. Gordon já perde mais de cinco minutos.

...em WP2: Al-Attiyah, Peterhansel +18'', Terranova +1'18'', Roma+1'25'', De Villiers +1'31'', Holowczyc +2'44''. Gordon continua a perder tempo..., mais de treze minutos para a liderança...

...em WP3: Al-Attiyah, Peterhansel +41'', Terranova +1'42'', De Villiers +2'15'', Roma +2'31'', Novotskiy +3'14'', Sousa +3'49'', Holowczyc +3'55''.

...em WP4: Al-Attiyah, Peterhansel +1'48'', Terranova +2'33'', De Villiers +5'48'', Roma +6'36'', Ten Brinke +6'36'', Holowczyc +6'57'', Sousa +10'25'', Novotskiy +10'34''.

Duclos penalizado...

Entre outros pilotos, Duclos foi penalizado em quarenta minutos aparentemente por ter falhado um ponto secreto de passagem. Consequência directa: Paulo Gonçalves já é sexto classificado à geral.

"Enfim, é o Dakar."

Carlos Sousa há momentos no seu FB...

Boa noite a todos. Está feito mais um dia deste Dakar, hoje com algumas limitações físicas devido a uma gripe e uma noite mal dormida com o calor... As temperaturas continuam elevadíssimas, entre os 40 e os 46 graus. E mesmo a 3.200m de altitude, num topo que atravessámos hoje na parte inicial da especial, estavam 35 graus no exterior... Desportivamente, cumprimos com o objectivo que tínhamos delineado para hoje, que era reentrar no top-10. Contudo, as coisas não foram fáceis porque apanhamos muito cedo o piloto argentino da Toyota que largou à nossa frente... E ali ficou tapando-nos durante vários quilómetros. Por azar, pouco depois de o conseguirmos ultrapassar, tocámos numa pedra à saída de uma curva e furámos. Quando regressámos à pista, voltamos a ficar atrás dele e assim continuamos mesmo até final da etapa. Confrontei-o no final com o comportamento que teve, mas desculpou-se com o facto de nunca me ter visto apesar dos constantes avisos do Sentinel. Enfim... À parte disso, tudo correu bem e o carro contínua sem problemas de maior a registar, embora sinta que a traseira continua a fugir demasiado. Algo para corrigir já amanhã, na especial entre San Juan e Chilezito, que promete bastante dureza. Enfim, é o Dakar. Abraço a todos e obrigado pelo vosso fantástico apoio.

...bem como o Ricardo que terminou hoje a 3ª etapa significativamente atrasada depois de, a 500 metros da linha de chegada, na ultrapassagem a uma moto, o Mini All4 Racing ter ficado preso num lamaçal que não estava indicado como sendo uma zona a evitar no road book.

Estamos desolados. Estávamos a fazer uma etapa excelente e tinha de nos acontecer uma coisa destas. Já tínhamos a meta à vista quando, na ultrapassagem a um motard ele desviou-se e obrigou-nos a sair da pista principal para não o atropelar. Mas aquilo que parecia ser apenas uma poça de água tinha por baixo um lamaçal que obrigou o nosso Mini a estancar de imediato. Apesar de estarmos a menos de um metro de zona firme foi necessário vir um tractor, que mais parecia uma grua, já que os outros dois que vieram antes não nos conseguiram tirar dali.

03 janeiro 2012

Etapa 3 - resumo

Holowczyc salta para a liderança

Os MINI voltaram a liderar na classificação dedicada aos Autos neste terceiro dia do Dakar 2012. Depois de ser sempre um dos mais rápidos ao longo de toda a especial, que ligou San Rafael a San Juan, Nani Roma carimbou o triunfo no dia de hoje, o segundo dos MINI, com um tempo de 2h26m51s, batendo o polaco Krzysztof Holowczyc, também num All4 Racing (e novo líder), por 1m09s.

Nasser Al-Attiyah voltou a ser o melhor dos representantes da Hummer, com o terceiro melhor tempo, perdendo 1m29s para Roma e voltando a mostrar a competitividade do modelo da marca norte-americana. Giniel de Villiers voltou a estar em muito bom plano com o seu Toyota e terminou a especial de hoje com a quarta melhor marca, a 1m33s. Robby Gordon colocou outro Hummer na quinta posição, logo à frente de Orlando Terranova, noutro Toyota, e de Stéphane Peterhansel, que perdeu 6m23s para o vencedor desta tirada.

Quanto aos portugueses, Carlos Sousa foi o melhor com o 11º tempo da especial, perdendo 8m21s para o MINI de Nani Roma, voltando a mostrar bons apontamentos com o Great Wall na medida em que rodou constantemente entre os dez primeiros ao longo da prova.

Já Ricardo Leal dos Santos também esteve entre as posições da frente ao longo da tirada, chegando mesmo a rubricar o segundo tempo no CP1, mas nos últimos quilómetros o piloto luso do MINI tem vindo a perder bastante tempo, ainda não tendo cruzado a linha de meta. Francisco Pita também ainda não chegou ao final da especial.

Na classificação geral, Holowczyk é o novo líder, com 54 segundos de avanço sobre Robby Gordon, enquanto Giniel de Villiers é o terceiro, a 1m40s, dez segundos na frente de Nani Roma. Peterhansel é o quinto, a 2m41s, ao passo que Nasser Al-Attiyah é o sexto a mais de seis minutos. Sousa é o nono da geral, a 21m46s da liderança.


[fonte]

Nos carros

Roma vence etapa, Holowczyc +1'09'', Al-Attiyah +1'29'', De Villiers +1'33'', Gordon +2'08'', Peterhansel 6'23.

Holowczyc lidera a prova, Gordon é 2º a menos de um minuto!!!

Despres vence etapa bate Coma por mais de 13 minutos!!

Erro de navegação de Coma custa-lhe muito caro...

Despres, Verhoeven +8'37'', Gonçalves +8'39'', Rodrigues +10'03'', Duclos +11'12'', Casteu +11'42'', Coma 13'04'', Lopez +17'59''.

Rodrigues e Gonçalves saltam para o top ten à geral!!

Terceira etapa na pista...

EM ACTUALIZAÇÃO...

Motards lusos ao ataque..., em WP1: Despres, Coma +20'', Faria +29'', Gonçalves +39'', Verhoeven +55'', Rodrigues +1'09''.

Em WP2: Coma, Despres +14'', Verhoeven +2'07'', Gonçalves +2'15'', Rodrigues +3'03'', Cody +3'24'', Faria +3'25''. Chaleco López não surge em WP2!!

Em WP3: Coma, Despres +2'', Verhoeven +2'39'', Gonçalves +3'05'', Rodrigues +3'53'', Faria +4'08'', Cody +4'16''.

Novidades de Chaleco: With 14th place at CP2 after 117 kilometres, the Chilean rider has lost almost 5'30” to the quickest bikers, the two official KTM riders who were battling it out in front. Chaleco is thought to have encountered navigational problems and lost the route, which would explain the time lost.

Etapa agitada nas motos...


Przygonski arrêté dans la spéciale !

Le polonais au guidon de la KTM n°11 est victime d'une panne moteur et a dû stopper au kilomètre 68 de la spéciale. Il tente de réparer sur place.Il occupait jusqu'à présent la quatrième place du général
.

Cody et Pedrero arrêtés en spéciale !
Les deux motards ont stoppé après le passage au CP3 dans la partie de spéciale destinée aux motos et aux quads. A priori, l'Américain aurait été victime d'une chute qui serait sans gravité, et aurait été aidé par l'Espagnol qui a ensuite repris le cours de l'épreuve, de même que Quinn Cody quelques secondes plus tard.


Autos em WP1: Peterhansel, Leal dos Santos +06'', De Villiers +08'', Holowczyc +11'', Roma +19'', Spinelli +48'' Al-Attiyah +58'', Sousa é 10ª a +1'05''


Autos em WP2: Peterhansel, Roma +19'', Holowczyc +46'', De Villiers +1'00'', Leal dos Santos +1'26'', Al-Attiyah +1'56'', Gordon +2'09'', Novitskiy +3'19'', Sousa continua 10º a cerca de cinco minutos

Autos em WP3: Roma, Holowczyc +13'', Villiers +34'', Gordon +1'32'', De Leal dos Santos +1'36'', Peterhansel +2'40'', Al-Attiyah +3'26'']

Sebastien Coue entra em coma após sofrer hipertermia no Rally Dakar

O francês Sebastien Coue, que conduzia a moto Yamaha 450 cc, foi encontrado nas dunas de Nihuil inconsciente e com um quadro de hipertermia, nesta terça-feira. O piloto foi transferido para o hospital de Schestakow, em San Rafael, onde permanece em estado de coma.

"Ele deu entrada em estado crítico com uma hipertermia de mais de 40º. Não sabemos o tempo que esse homem esteve exposto ao sol", declarou o diretor do hospital, Armando Dauverné.

Uma tomografia no cérebro foi realizada, tranquilizando fãs e familiares do piloto, pois nenhuma lesão neurológica grave foi constata. Os médicos responsáveis suspeitam de problemas no baço de Coue.

Ainda não se sabe o que realmente aconteceu com Coue, mas o Doutor Dauverné suspeita que o piloto tenha sofrido um acidente e ficado muito tempo exposto ao Sol, o que agravou seu quadro e lhe causou a hipertermia. Outra possibilidade considerada pelos médicos é de que o forte calor tenha feito Coue desmaiar e cair da moto. Estima-se que a temperatura no momento do acidente ultrapassasse os 40ºC.

Sebastien Coue não é o único piloto do Rally Dakar 2012 que permanece no hospital. Seu compatriota Bruno da Costa também foi internado após bater em uma vaca, acidente que pode ter lhe causado fraturas na espinha dorsal e uma hemorragia renal. O argentino Jorge Martinez Boero também se acidentou na competição, porém ele não resistiu aos ferimentos, no primeiro dia de disputas.


Fonte: http://www.terra.com.br/portal/

Momentos…

02 janeiro 2012

Etapa 2 - resumo

Hélder Rodrigues: "Houve um problema que impedia a gasolina de chegar bem ao motor"

Hélder Rodrigues não está a ter um início de Dakar nada fácil. O piloto da Red Bull Yamaha TMN Team averbou o 12º tempo tendo gasto 3h18m22s para percorrer o setor seletivo, mais 11m01s que o piloto espanhol Marc Coma, que foi a mais rápido do dia. Hélder Rodrigues, que voltou a ter problemas com a sua moto, foi todavia o mais rápido de entre os pilotos portugueses.

Bastante cansado e com a moral em baixo Hélder Rodrigues explicou que "houve um problema, que vamos agora tentar perceber a origem, que impedia a gasolina de chegar bem ao motor e que fez com que a moto, embora não parasse, nunca tenha estado a andar como seria normal", salientou o piloto à chegada a San Rafael.

A etapa de amanhã liga San Rafael a San Juan e terá a Cordilheira dos Andes como pano de fundo. Neste dia as paisagens sumptuosas vão surgir. No entanto, a especial de cerca de 270 quilómetros, vai colocar à prova a robustez das máquinas e a concentração dos pilotos. As travessias de rios, buracos numerosos e rochas e as altas altitudes vão ser desafiantes para os concorrentes.


[fonte]

Nasser Al Attiyah vence...

...e Peterhansel assume liderança da prova.

Na etapa: Nasser Al Attiyah, Peterhansel +54', Gordon +2'42'', Holowczyc +3'31'', Roma 4'15'', De Villiers +4'37'', Spinelli +9'57'', Novitskiy +12'20'', Leal dos Santos +13'31'', Alvarez +14'10'', Sousa +17'18''.

Entretanto o sitio do rally informa... Terranova en difficultés.
L'argentin Orlando Terranova est en délicatesse avec sa mécanique à son tour. Son Toyota Overdrive refuse tout service alors qu'il se situe à moins de 30 kilomètres de l'arrivée de spéciale. (...)
Lavieille en panne.
Christian Lavieille qui pilote un proto Dessoude est en panne au kilomètre 63 de la spéciale. Alors que les premiers concurrents autos ont franchi la ligne d'arrivée, le pilote Français est toujours immobilisé par une défaillance de sa mécanique et tente de réparer par ses propres moyens
.

...são boas novas para o futuro dos pilotos portugueses.

Marc Coma vence e já lidera Dakar

Marc Coma (KTM) venceu a segunda etapa do Dakar, batendo o seu grande adversário, Cyril Després (KTM) por 1m18s. Terceira posição para o espanhol Joan Barreda (Husqvarna), já a 2m33s do vencedor. O anterior líder da prova, "Chaleco" Lopez Contardo (Aprilia) foi quarto classificado, onde segundos atrás do espanhol da Husqvarna.

Hélder Rodrigues (Yamaha) foi hoje o melhor português nas motos, ao obter a 12ª posição, imediatamente na frente de Paulo Gonçalves (Husqvarna). O piloto da Yamaha perdeu 11m01s para o vencedor da tirada, enquanto o homem da Husqvarna cedeu 12m30s. Já Rubens Faria esteve parado logo na fase inicial da etapa, suspeita-se que para esperar por Cyril Després, embora esta seja uma informação que só o piloto poderá confirmar posteriormente, perdendo 13m36s para Coma.

Desta forma, Marc Coma é o novo líder da prova, agora com 2m30s de avanço para "Chaleco" Lopez Contardo com Cyril Després a 'saltar' para o terceiro lugar da geral, a 2m52s do espanhol, com os portugueses fora do top 10, já a mais de uma dúzia de minutos do líder.


[fonte]

Nas motos Coma vence segunda etapa

Coma, Despres +1'18'', Barreda +2´33'', Lopez +2'44'', Przygonski +4'17'', Casteu + 7'14''. Rodrigues foi 12º a 11'01'', Gonçalves 13º a 12'30'' e Faria 15º a 13'36''.

Segunda etapa na pista...

A problem for Faria?

Portugal and Team Red Bull KTM’s Ruben Faria stopped for several minutes on the special stage, approximately 4 kilometres after the start for an unknown reason. He returned to the race tracks however, and has carried on at normal pace in this section ridden at a top speed of between 150 and 160 kilometres per hour by all of the leading competitors in the bike category.


Motos em WP1: Despres, Coma +26'', Lopez+48'', Cody +1'33''. Rodrigues é 14º a mais de 3 minutos...

Corre mal a prova para os motards tugas em WP2: Despres, Coma +9'', Lopez +17'', Cody +1'34'', Casteu +2'01'', Duclos +2'02''. Gonçalves é 20º a 4'17'' e Rodrigues é 28º a mais de 6 minutos.

Motos em WP3: Despres, Coma +18'', Lopez+34'', Cody +1'15'', Barreda +2´25'', Casteu +3'07''.

Motos em WP4: Despres, Coma +14'', Lopez +1'58'', Cody +1'15'', Barreda +3´03'', Przygonski +4'43'', Casteu + 4'50''.

Autos em WP1: Gordon, Peterhansel +9'', Holowczyc +19'', De Villiers +58'', Roma +1'05'', Novitskiy +1'07'', Terranova + 1'20'', Ten Brinke +1'49'', Sousa +1'56'', Spinelli +2'06'', Leal dos Santos +2'09''

Em WP3 Holowczyc, Peterhansel +28'', Roma +1'05'', De Villiers +1'22'', Gordon +3'34'', Leal dos Santos +5'15'', Novitskiy +7'12'', Sousa 10'14''.



fonte: www.dakar.com

Alfie Cox: "Ao menos estamos sãos e salvos, pois poderia ter sido muito pior"

Depois de muitos meses de trabalho no desenvolvimento do protótipo, o Pewano de Alfie Cox ardeu por completo na primeira etapa do Dakar 2012, deixando o piloto e toda a equipa completamente desolados:

"O carro pegou fogo, e pouco mais há a dizer!" ", referiu Hans Sonksen, Team Manager da Pewano. "Estamos terrivelmente dececionados e tristes. Nós sabíamos que não seria uma prova fácil, mas que o carro iria pegar fogo não era cenário concebível. Durante 14 dias de corrida temos sempre que estar preparados para problemas mecânicos, mas era difícil prever isto. Durante a primeira etapa entre Mar del Plata e Santa Rosa de la Pampa, depois de algumas horas de condução irrepreensível, algo correu muito mal. Com o carro completamente destruído pelas chamas, não nos é possível determinar o que causou o incêndio, mas acreditamos que se tratou duma fuga de óleo na bomba da direção assistida ou uma das mangueiras do sistema.", referiu Sonksen.

Alfie Cox, piloto do Pewano, explicou como tudo sucedeu: "Estávamos a rodar a um bom ritmo, o carro estava absolutamente irrepreensível e eu nem sequer batalhava para manter a velocidade. A cerca de 30 km da meta, a direção assistida falhou, e no momento seguinte, o meu lado do carro estava em chamas. Tentámos imediatamente apagar o fogo, mas não foi possível. Felizmente conseguimos escapar. Toda a equipa está realmente abalada e muito, muito dececionada.", explicou um devastado Alfie Cox.

"Nos últimos meses a equipa Pewano trabalhou noite e dia para o Dakar, e ver o carro arder deixa um grande sentimento de vazio. Queríamos trazer o carro até o fim, em Lima, independentemente dos resultados, e agora estamos privados dessa oportunidade. Ao menos estamos sãos e salvos, pois poderia ter sido muito pior. O momento mais temido por qualquer piloto de corridas é o seu carro pegar fogo. Estamos chocados e desiludidos e sinto-me realmente triste pela equipa, pois trabalharam muito duro na preparação do carro. Agora vamos reagrupar-nos e planear o caminho a seguir.", concluiu o sul-africano.


fonte: http://clix.autosport.pt/

O momento do dia de ontem...

...em que Gordon reboca Al-Attiyah.

Nasser continua confiante

Do sitio oficial do rally...

Après une première journée harassante, le tenant du titre a rejoint le bivouac de Santa Rosa à 23h00, au volant d'un Hummer qui allait probablement nécessiter une bonne nuit de travail pour pouvoir prendre le départ de la 2ème étape dans de bonnes conditions : « A 2 km de l'arrivée de la spéciale nous avons senti u ne odeur de brulé, car le câble de la pompe à essence avait fondu. Ensuite Robby nous a tiré jusqu'à la fin de la spéciale. Et dans la liaison nous nous sommes arrêtés avec Lucas pour réparer. Nous y avons passé deux heures tous les deux, car nous n'avons pas vu notre camion d'assistance. Ensuite nous avons dû nous arrêter tous les 100 kilomètres pour remettre de l'huile. Maintenant j'espère que les mécaniciens vont bien travailler pour résoudre ce problème, et surtout faire en sorte qu'il n'y ait plus de problèmes. Pour la victoire je ne suis plus trop confiant, mais il faut tout de même continuer d'y croire. Parfois le rallye raid c'est comme ça. »

Mais um...

...carro ardido durante a especial de hoje: polaris de Jose Antonio Blangino

01 janeiro 2012

Etapa 1 - resumo

Fim prematuro para o Volvo de Alfie Cox

Carlos Sousa foi sexto com o Great Wall

O russo Leonid Novitskiy, ao volante dum MINI All4 Racing, é o primeiro líder do Dakar nos autos, ao vencer a especial de abertura, que ligou Mar Del Plata a Santa Rosa, na distância de 57 km, deixando o polaco Krzysztof Holowczyc, em carro idêntico, a cinco segundos.

Terceiro tempo para Stéphane Peterhansel, completando assim uma 'tripla' da MINI, a nove segundos. Giniel de Villiers (Toyota) foi quarto a 15s, na frente do primeiro dos Hummer, o de Robby Gordon, que perdeu 49s para o líder. Carlos Sousa (Great Wall) obteve um positivo sexto tempo a 52 segundos, na frente de Christian Lavieille e do seu proto Dessoude. Ricardo Leal dos Santos encerrou o Top 10, a 2m13 do seu colega de equipa. Primeiros problemas para Nani Roma, que aos comandos do seu MINI já perdeu 2m20s e também para o vencedor do ano passado, Nasser Al-Attiyah, que perdeu 9m50s nos primeiros 57 quilómetros cronometrados com o Hummer H3.


[fonte]

Sousa diz-se "algo surpreendido pelo resultado final, uma vez
que não senti ainda total confiança no carro e acusei alguma falta de ritmo nosprimeiros quilómetros. Nesse contexto, este resultado foi uma surpresa bastante positiva, numa especial de dificuldade média e já com pistas muito técnicas e algo acidentadas pela passagem das motos. (...) Vinha sentado muito junto ao volante e sem muito espaço para fletir os braços. Isso foi notório sobretudo na passagem pelas primeiras dunas, que por serem muitomacias e terem muito público à volta obrigavam-me a muitas correções com ovolante. Enfim, é algo que vamos agora corrigir na assistência, embora sabendo de antemão que o habitáculo deste Great Wall é um pouco mais apertado que o Mitsubishi a que estava habituado. À parte disso, tudo está perfeito com o carro, pelo que vamos já começar a concentrarmo-nos na etapa de amanhã, que será bastante mais longa e rápida do que esta, exigindo grande concentração de início a fim”

Hummer de Robby Gordon e Nasser Al-Attiyah com problemas

Não começou nada bem o Dakar 2012 para Nasser Al Attiyah e Robby Gordon, já que ambos os pilotos dos imponentes Hummer H3 ficaram parados pouco depois do final da especial, na estrada que liga a Santa Rosa de la Pampa, com problemas mecânicos. A equipa está a tentar resolver os problemas, que ainda não tinham sido identificados. Robby Gordon ainda completou a etapa sem avarias, mas o piloto do Qatar perdeu 9m50s para o líder.

[fonte]

Motard argentino morre na primeira etapa do Dakar 2012

Não podia ter começado pior a edição de 2012 do rali Dakar. O motard argentino Jorge Martínez Boero morreu, na sequência de um acidente na primeira etapa da prova.

Martínez Boero, de 38 anos, não resistiu aos ferimentos no tórax, após cair da moto na curta especial de 57 quilómetros.

O motard foi transportado de helicóptero para o hospital de Mar del Plata, noticia o diário argentino “Olé”, mas os médicos nada puderam fazer.

Martínez Boero, filho de um antigo piloto argentino com o mesmo nome, participava pela segunda vez no rali Dakar.

Segundo o boletim médico revelado pela organização da prova, o acidente aconteceu às 19h19 locais, quando Martínez Boero estava no quilómetro 55.

“Em consequência da queda, o piloto sofreu uma paragem cardíaca”, diz o relatório da organização: “Cinco minutos depois, foi assistido no helicóptero de urgência, mas os médicos da prova não conseguiram reanimá-lo.”

A AFP recorda que Boero também tinha sido vítima de um acidente na edição do ano passado, na 6.ª etapa, altura em que desistiu, após ter caído num precipício, onde teve de aguardar quase oito horas por ajuda.


[fonte]